AiotAiot


Integração da IA nas redes de energia: uma revolução na eficiência energética

As redes inteligentes de energia, impulsionadas pela convergência de Inteligência Artificial (IA) e Internet das Coisas (IoT), estão transformando radicalmente a forma como gerenciamos e consumimos energia

10/01/2024Por Valter Wolf

Integração da IA nas redes de energia: uma revolução na eficiência energética
Tamanho fonte

Por Valter Wolf

 

As redes inteligentes de energia, impulsionadas pela convergência de inteligência artificial (IA) e internet das coisas (IoT), estão transformando radicalmente a forma como gerenciamos e consumimos energia. No contexto brasileiro, esse avanço tecnológico não apenas promete revolucionar a eficiência energética, mas também desempenhar um papel crucial na sustentabilidade e na modernização da infraestrutura elétrica.

O Brasil já conta com a expressiva marca de 4 milhões de medidores inteligentes em operação, de acordo com uma análise do Canal Energia. Os medidores inteligentes fornecem dados precisos e detalhados em tempo real que podem ser usados para treinar e alimentar algoritmos de IA. Os algoritmos podem ser usados para identificar padrões e prever o consumo de energia futuro. Essa informação pode ser usada para melhorar a eficiência, a confiabilidade e a sustentabilidade das redes elétricas.

A IA, quando incorporada nas redes inteligentes, atua como o cérebro por trás das operações, possibilitando uma gestão mais eficiente e dinâmica da geração, transmissão, distribuição além otimizar do consumo de energia.

Algoritmos avançados de IA analisam padrões de consumo, identificam gargalos na rede e ajustam dinamicamente o fluxo de energia, resultando em um consumo mais equitativo e eficiente. Essa abordagem não apenas contribui para evitar picos desnecessários, reduzindo custos operacionais, mas também representa um passo significativo em direção a uma rede elétrica mais inteligente e eficiente.

O desperdício de energia elétrica no Brasil é estimado em 43 terawatt-hora (TWh) por ano, o que equivale ao atendimento de 20 milhões de residências, segundo estudo da FIESC. Se houvesse uma usina de geração de energia elétrica somente para suprir esse volume desperdiçado, seria a terceira maior do país. Esse desperdício custa acima de R$ 60 bilhões por ano na conta de energia. O uso de IA pode desempenhar um papel crucial na identificação e correção dessas ineficiências.

A integração da IA nas redes inteligentes de energia representa uma mudança de paradigma no setor elétrico brasileiro. Ao alavancar tecnologias emergentes, o país não apenas avança rumo à eficiência energética, mas também estabelece um alicerce sólido para uma matriz elétrica mais sustentável. O futuro da energia no Brasil está intrinsecamente ligado à inteligência artificial, moldando uma paisagem mais eficiente e ecologicamente responsável.

Valter Wolf é presidente da Abria (Associação Brasileira de Inteligência Artificial)

TAGS

#ABRIA#algoritmos#eficiência energetica#energia#FIESC#inteligencia artificial IA#Internet das Coisas (IoT)#redes de energia#terawatt-hora (TWh)

COMPARTILHE

Notícias Relacionadas